05 janeiro 2013

Breve reflexão sobre a inclusão

reflexão inclusão
Adicionar legenda

Já não seria necessário falar em inclusão se não houvessem excluídos - e disso todos sabem -, porém a diferença está em como vemos a situação.
Tenho observado a maneira que as pessoas comentam a respeito. A maior parte vê a inclusão como um lindo acontecimento caridoso, onde os ditos "normais"  e bondosos acolhem os deficientes que são também chamados de "especiais". Esses últimos são tratados, nessa mesma ótica romantizadora, como seres de outro mundo. Há excesso de brincadeiras, como se o mesmo fosse um recém-nascido. É o que vejo em rodas de conversa, na televisão e até mesmo nas discussões familiares. Fica óbvio que não por maldade, mas falta de conhecimento a respeito.
Não seria, então, necessário que fosse divulgado primeiramente o que é inclusão?
Existem, também, os que já entenderam a proporção do problema na humanidade a respeito dos excluídos, mas o sentimentalismo, novamente, toma conta. E a mobilização? Não é necessário ser um profissional da área das ciências humanas para fazer algo, porém nós educadores temos uma missão grande em nossas carreiras!

A conscientização está dando lugar para a informação superficial. Claudia Werneck trata em seu livro "Sociedade Inclusiva: Quem cabe no seu TODOS?" de maneira fabulosa. Jornalista, ela se dispões a falar sobre o assunto principalmente para os, também, jornalistas e demais profissionais que trabalham diretamente com a mídia. Ela diz: "No Brasil, os arrepios de emoção que nossas reportagens suscitam não têm sido suficientes para alavancar mudanças necessárias capazes de inserir a deficiência no rol das questões sociais brasileiras" (WERNECK, 1999, p. 46).
Acrescento: e na educação, será que nas salas de aula não acontece o mesmo? Tantos projetos a fim de que realmente os alunos se conscientizem, mas quando o assunto é inclusão basta o professor falar no "cotidiano" corrigindo e usando o fulaninho como exemplo... Será que esse mesmo é o caminho que desejamos percorrer?


Referência:
WERNECK, Claudia. Sociedade Inclusiva: Quem cabe no seu TODOS? Rio de Janeiro: WVA, 1999.

Um comentário:

  1. ivan nogueira melo5 de janeiro de 2013 23:02

    li,concordo e campactuo desse pensamento,perfeito!!

    ResponderExcluir

O que você achou dessa postagem?
Comente!